28 de janeiro de 2018 às 02:00

'Faz tudo', Marcelo Veiga vira manager em sexta passagem pelo Bragantino

Treinador desde 1999, Marcelo Veiga, 53, nunca ficou mais de 20 dias desempregado. Deve isso ao Bragantino. Técnico e clube vivem um casamento de idas e vindas que dura os meses do Campeonato Paulista a cada ano.

Treinador desde 1999, Marcelo Veiga, 53, nunca ficou mais de 20 dias desempregado. Deve isso ao Bragantino. Técnico e clube vivem um casamento de idas e vindas que dura os meses do Campeonato Paulista a cada ano.

O estadual de 2018 é a sexta passagem dele pela equipe do interior. Está tão acostumado a viver em Bragança Paulista (90 km de São Paulo) que se mudou de vez para a cidade.

"Quando não estou no Bragantino as pessoas me encontram na rua e perguntam: 'e aí? Já voltou?'", se diverte Veiga, que neste domingo (28) coloca seu time em campo contra o Palmeiras, às 17h.

São 467 jogos e o título da Série C do Campeonato Brasileiro de 2007 pelo clube. Não que ele ache que esta tenha sido sua única conquista pelo Bragantino.

"Mantive a equipe na Série B do Brasileiro por alguns anos. Fui vice da Copinha [a Copa Paulista]. Eu só volto para cá porque o trabalho é bem feito", completa.

O último troféu da carreira de Veiga foi a Série D nacional de 2015, com o Botafogo-SP. Mesmo assim, não ficou.

Após tantas chegadas e partidas, o ex-lateral de futebol discreto sabe o motivo para se identificar tanto com o Bragantino. É onde recebe a liberdade que acredita ser necessária para um treinador desenvolver o trabalho.

Ele não é apenas técnico em Bragança. É manager e supervisor. Cuida de tudo, desde a rouparia até a contratação de reforços. É um estilo que nem sempre é aceito em outros lugares.

"Eu não consigo ser apenas o treinador. Especialmente em clubes pequenos, você precisa agregar outras funções para que tudo funcione bem. Se alguma coisa dá errada, fica muito fácil para você descobrir onde está o problema e resolver."

Pode ser uma vocação do Bragantino, que teve seu ano de glória em 1990, quando foi campeão paulista sob o comando do então novato Vanderlei Luxemburgo. Outro profissional que também defende que o técnico incorpore a figura do manager.

Apesar de viver uma realidade de clubes que muitas vezes não têm atividades no segundo semestre, Marcelo Veiga sinaliza que desta vez gostaria de fazer trabalho de longo prazo. Ideia que ficará mais fácil de ser implantada se o Bragantino fizer boa campanha no Paulista e passar pela fase de grupos.

Depois de duas vitórias (uma delas sobre o Santos, na Vila), a equipe perdeu para o São Bento na quinta (25).

"Desta última vez que voltei, as pessoas tiveram surpresa com a minha postura. Antes eu jogava junto, falava muito palavrão, colocava o time atrás. Mudei isso. Faz dois anos que não falo palavrão, estou mais calmo e gosto que minhas equipes proponham também o jogo. Esta é a fórmula", defende o morador de Bragança Paulista.

NA TV
Bragantino x Palmeiras - 17h, Globo

Fonte: FOLHA

comentários

| Rádio 97 FM Colatina '); }
Estúdio Ao Vivo